segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Matriciado e mal pago

.

Tem dias que acordo como se estivesse saído de uma das dimensões de Matrix. Dia desses, às 4 da matina, dia clareando, depois do banho com Edith Piaf, preparei e tomei o breakfast; fui para a sacada e acendi o charuto que Breno Accioly me mandou do Mato Grosso do Sul, onde se encontra passando uma temporada com o meu amigo João Neto Chagas, o Anjo Destrambelhado. Baforei o cubano-paraguaio, meditei sobre a possibilidade de assistir aos jogos da Copa 2010 bem acomodado na cobertura do prédio onde moro, aqui no Itanhangá. A vista é boa, mas ainda não consigo avistar a costa da África do Sul; entretanto, a exemplo das bolsas de valores de todo o mundo, a maré pode baixar mais que o normal, aí é só deflagrar a Auriverde e comemorar com um churrasco ao som da musiquinha que eventualmente a Rede Globo lançar para o evento.

Mas o que tudo isso tem a ver com acordar matriciado? Acontece que, depois disso aí em cima, vim aqui, abri o pc, acessei minha conta no gmail e fui conferir as mensagens recebidas. Uma delas informava: “Presidente russo encontra-se com Lula e empresários no Rio na próxima semana”. O primeiro parágrafo já nos atualiza razoavelmente: “O presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, inicia na próxima segunda-feira (24), uma visita de três dias ao Rio de Janeiro. De acordo com informações do Ministério das Relações Exteriores, o chefe de governo russo terá reuniões com empresários, com o presidente Lula e com o governador fluminense, Sérgio Cabral.”.

Até aí, nada demais se não fosse o fato de que eu, até aquele exato momento, imaginava que o presidente russo ainda era o Putin (diga mesmo: num parece nome de personagem do Henfil?). E olha que sou colaborador do site da Pravda, jornal russo criado, inicialmente, por Trotsky, na Áustria, e depois por Lênin, em meio ao processo revolucionário que todos nós conhecemos, mesmo que seja como eu o conheço, de ouvi dizer.

Leio e colaboro para a Pravda (verdade), e você deve estar pensando que estou brincando, quando falo que não sabia quem era o novo presidente da Rússia. Juro que é verdade, como a tradução do termo Pravda para o português. Pelo visto, está arriscado dia desses eu tomar conhecimento de que o presidente do Brasil voltou a ser FHC ou um dos seus maquiavélicos discípulos, somente depois de acessar o Globo, a Folha de São Paulo, ou qualquer outro jornal online, que agora só embrulha peixinho de aquário virtual que minhas amigas orkuteiras costumam me enviar. Bom, aí terá sido tarde demais, pois faz muito tempo que não clico nos links que os trariam até o meu velho monitor cansado de guerra. Acho que isso, hoje, é exercício de jornalistas em busca de noticiar notícias no Observatório da Imprensa. Quanto às minhas colaborações para o OI, em geral elas se originam nas matérias que recebo diretamente de amigos, ou através da lista que o meu amigo Castor Filho, engenheiro, aposentado como eu, faz questão de manter para atualizar pessoas desligadas do mundo pós-capitalismo.

Fui ao site da Pravda a fim de conferir a notícia da sucessão presidencial na Rússia, mas dei de cara com fatos mais atualizados: “O presidente russo Dmitri Medvedev pretende visitar vários países latino-americanos no final deste mês de novembro. Esta segunda-feira (10) o secretário de Conselho da Segurança Nikolai Patruchev encontrou-se com o ministro de Assuntos Estratégicos brasileiro Roberto Mangabeira Unger para precisar os detalhes da visita do presidente russo ao Brasil, segundo informa Ria-Novosti”.

Logo abaixo, uma notícia complementa as informações de que preciso para me atualizar e sentar os pés no chão depois da odisséia que vivi no Sertão Alagoano, durante a campanha eleitoral deste ano: “Cerca de 80% dos russos acreditam que o ex-presidente e atual primeiro-ministro do país, Vladimir Putin, é o líder melhor nos últimos 100 anos, segundo uma sondagem efetuada pelo Centro de Estudos da Opinião Pública (Vtsiom)”. Porém, ao ler o nome do novo (pra mim, claro) presidente russo, imaginei um camarada mais ou menos com a cara de Nikita Kruschev, com o corpanzil e tudo. Resolvi conferir. Despachei o Goober, meu cavalo alado que adquiri da Wells & Fargo num leilão da New York Stock U$, e rapidinho ele estava de volta com informações “quase” precisas: Dmitri Anatoliévitch Medvedev Дми́трий Анато́льевич Медве́дев, assim mesmo, juro! E até me trouxe a folha corrida do cidadão:


Mandato:
7 de maio de 2008atualidade
Precedido por:
Vladimir Putin
Nascimento:
14 de Setembro de 1965 (43 anos)Leningrado, URSS
Profissão:
Político, advogado e administrador

Mas desta vez o Goober ganhou apenas meio saquinho de amendoim; pois, em vez de pegar uma foto do presidente Dmitri Medvedev etc., ele me trouxe uma do governador Sérgio Cabral. Veja:






Esse Goober está ficando velho, já não consegue faturar um páreo sem a ajuda do... (como é mesmo o nome do prefeito eleito do Rio de Janeiro?)

Contudo dentro de poucas semanas o campanário da Catedral anunciará o Natal na Lapa, e eu já estou razoavelmente atualizado até o final do ano, quando, caso a Rede Globo esteja sorteando algum brinde, prometo assistir à Retrospectiva 2008, ao apagar das luzes de 2009. Sim, porque, pelo que me consta, as de 2008 ainda nem foram acessas.


.