segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Para Pensar... Brasil! --- Chicanas e baboseiras na Suprema Cripta --- CC-PE: Ereções Democráticas

.


Para Pensar... Brasil!

Subdesenvolvimento não se improvisa. É obra de séculos!

Prof. Benedicto Moreira*

Rememorando...

1 –       “Porém o melhor fruto que dela se pode tirar me parece que será salvar esta gente!” – 01/05/1500 – Pero Vaz de Caminha – “Carta da Descoberta - parágrafo 132”.

2 –         “Por isso se vêem, com perpétuo clamor da justiça, os indignos levantados e as dignidades abatidas; os talentos ociosos e as incapacidades com mando; a ignorância graduada e a ciência sem honra; a fraqueza com o bastão e o valor posto a um canto;  os vícios sobre os altares e a virtude sem culto; os milagres acusados e os milagrosos réus. Pode haver maior violência da razão? Pode haver maior escândalo da natureza? Pode haver maior perdição do Governo?” - Padre Antônio Vieira – 1.669 – “Sermão da Quinta-Feira da Quaresma”.

3 –         “Quando na solidão do meu gabinete contemplo o Brasil que agoniza no leito das torturas que lhe armaram os desmandos do regime que nos rege. Quando escuto as investidas indecorosas que mutuamente se assacam os bandos políticos que, como lobos famintos, disputam entre si as migalhas de um poder degenerado; quando constato o estado de apatia coletiva que mais parece uma saliência do caráter nacional – enquanto o povo estorce-se nas garras aduncas da miséria, da ignorância e do vilipêndio; quando vejo a honra e o talento abatidos pela exaltação da mediocridade bem sucedida dos charlatães e pusilânimes da causa pública; e quando descortino o horizonte da impunidade e da desesperança – eu me pergunto: não haverá um único homem que, purificando o trato das instituições, sustenta a pátria que resvala para o abismo do qual irá encontrar seu esfacelamento? Como aterradora resposta, recolho o silêncio e o desânimo” – 1.879 – Clóvis Bevilacqua – jurista.

4 –         “Um povo que cultua um governante medíocre, é porque não sabe conceber um superior. As pretensas democracias, de todos os tempos, foram confabulações de profissionais, para se aproveitarem das massas e excluírem os homens eminentes. Foram sempre mediocracias. A premissa da sua mentira foi a existência de um “povo” capaz de assumir a soberania do Estado. Não existe tal povo, as massas de pobres e ignorantes não tiveram, até hoje, capacidade para governar, apenas trocaram de pastores... o “culto da incompetência”, não depende do regime político, mas do clima moral das épocas decadentes... como a atual” – 1.913 – José Ingenieros – “O Homem Medíocre”.

5 –         “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto” - 1.914 – Ruy Barbosa – no Senado Federal.

6 –         “Toda a capacidade dos nossos estadistas se esvai na intriga, na astúcia, na cabala, na vingança, na inveja, na condescendência com o abuso, na salvação das aparências, no desleixo do futuro” – 1.915 – Ruy Barbosa “Colunas de fogo”, pg. 79.

7 –         “Os elementos anárquicos sempre frutificaram aqui facilmente, com a cumplicidade ou a indolência displicente das instituições e dos costumes. Nenhum método, nenhum rigor, nenhuma previdência, sempre um significativo abandono que exprime a palavra ‘desleixo’” – 1.936 – Sérgio Buarque de Holanda – “Raízes do Brasil”.

8 –         ...“O Presidente vai ficar porque o povo quer que ele fique. Democracia é isso. Curvo-me à vontade popular, mas inconformado. Esta será uma das eleições mais decepcionantes da minha vida. É a declaração pública, solene, do povo, de que desvios éticos dos governantes não têm mais importância... Não me candidatarei em 2.010, não quero mais viver na vida pública. Vou apenas cumprir o meu mandato. A classe política apodreceu... nunca vi um Congresso tão medíocre... dizem que político não pode falar mal do povo. Pois eu falo. Parte da população compactua com tudo isso... e a elite intelectual inclusive... cínicas, desavergonhadas. Compactuam porque são iguais, senão piores! Para mim chega!” – 2.006 – Senador Jéfferson Péres – no Senado Federal.

Assim foi: PATRIMONIALISMO – PATERNALISMO – ESTATISMO – PERSONALISMO -.

Um povo desassistido de educação e de consciência cívica; que proliferou, vegetativamente, sob o jugo de imperadores, capitães hereditários e oligarcas regionais; que se rendeu às migalhas dos poderosos sem escrúpulos e, deles, ficou cativo; que, nas zonas rurais e urbanas, nas igrejas e universidades, nos programas radiofônicos e televisivos, nos sindicatos e nos parlamentos, viu, ouviu e cultuou falsos líderes, pseudo-intelectuais, atores, artistas e cantores, repisadores, muitos, de ideologias defuntas, utopias esquecidas e conceitos fossilizados; que, gradativamente, pela falta de exemplos dignificantes, foi subvertendo a tábua de valores morais, distorcendo princípios e sendo leniente com a corrupção e a mentira; que elegeu e reelegeu incapazes, demagogos e oportunistas; que acreditou em “salvadores e pais da Pátria”, assimilando slogans, refrões e palavras de ordem: “Nele, em se plantando, tudo dá!” – “O Imperador é vassalo do povo!” “Independência ou morte!” – “A República é do Povo!” – “Trabalhadores do Brasil!” – “50 anos em cinco!” – “O Homem da Vassoura!” – “Queremos democracia!” – “Diretas Já!” – “O Cruzado sepultará a ganância!” – “Constituição Cidadã!” – “O Caçador de Marajás!” – e...por fim, “Não tenha medo de ser feliz!”.

Para a maior parte de um povo assim, pensar é um desvario; a dignidade, é uma irreverência; a justiça, é uma utopia; a sinceridade, é uma tolice; a honestidade, é uma imprudência; a paixão por um ideal, é uma ingenuidade; a virtude é uma estupidez! Que esperar de um povo que afasta o talento e se projeta no medíocre? Que sempre confia em promessas que sabe não serão cumpridas? Que, depois de cinco séculos, somente ostenta duas dinâmicas associativas nacionais espontâneas: O Carnaval e a Copa do Mundo?

Esmagada pela dureza da vida, a alma se anula na multidão débil... e segue o rebanho.

Rotinizou-se a propina, a picaretagem, a pilhagem do erário, o nepotismo, o compadrio, a quadrilhagem impune, a desfaçatez irônica e arrogante, os pugilatos eleitorais enfadonhos, a culpabilização dos antecessores, a apropriação de conquistas alheias, o exaltar dos próprios egos, o desprezo pela ética na gestão pública, a multiplicação das favelas e das sementeiras dos (as) meninos (as) de rua, o trabalho infantil desumano, a insegurança, o crime organizado desafiando a autoridade, os assaltos, os latrocínios, os seqüestros, os estupros, a pedofilia, os ataques incendiários, a traficância de armas e entorpecentes, a defesa dos direitos humanos de delinqüentes ( o que é justo) e o esquecimento dos mesmos direitos dos cidadãos corretos (o que é injusto), tudo sob os olhares impotentes das autoridades constituídas, municipais, estaduais e federais, que se isentam das respectivas responsabilidades se acusando reciprocamente.

O alerta foi dado há décadas, mas os ouvidos permaneceram moucos! 

Muitos dos milhões de brasileiros (as) honestos (as), dignos (as) e laboriosos (as), estão chegando ao desânimo, ao descrédito e, como disse o gênio pátrio: “a ter vergonha de ser honesto (a)”.

Há esperança de uma nação futura, melhor e mais justa, para os nossos filhos, netos e bisnetos? Ao menos isso, há? Em recentíssimo relatório da UNESCO, o Brasil ficou entre os piores do mundo na área de educação infantil, somente à frente do Nepal, do Anguila caribenho e de 12 países da África subsaariana, esta, a região mais miserável do planeta...
Que cada brasileiro (a) reflita e tire a sua própria conclusão.

*Prof. Benedicto MoreiraOAB – PR 15.786 - Colaborador eventual desta nossa Agência Assaz Atroz (PressAA).

Breve, do mesmo autor, publicaremos a série...

O FUTEBOL
AS SUAS ORIGENS REMOTAS: 
HISTÓRIA, REGRAS, CRAQUES E OPINIÕES
_________________________________________________________________________________



O Mensalão da mídia está a todo vapor

Fernando Soares Campos

De fato, aquele papim (totalmente inventado) de que Ahmadinejad seria “negador de holocausto” é equivalente ao que diz o Estadão -- que Lula seria negador de democracia; e que Chávez seria negador de liberdade de imprensa: é sempre o mesmo golpe. Nem Ahmadinejad jamais negou holocausto algum, nem Lula nega democracia alguma, nem Chávez nega liberdade de imprensa: tudo, aí, é o mesmo udenismo-de-inventar-o-mundo-por-jornal-e-televisão, a golpes de opinionismo udenista de mirians leitões, e/ou de “éticas” dos alexandres machados, e/ou a golpes do fascismo sincero dos williams waacks e sardembergs e que-tais. (Caia Fittipaldi comentando “Sobre os ‘argumentos’ de MarinaSilva, a UDN-da-Floresta. XÔ!”)

***

A Al Qaeda, por exemplo, causa danos bem menores que a ação predatória e criminosa dos Estados Unidos. São em larga escala. Quando no filme DOUTOR FANTÁSTICO de Stanley Kulbrick, um general boçal (são raros os generais não boçais) fala em “vamos para as cavernas”, estava apenas retratando a visão do genial diretor sobre o futuro de um mundo massacrado pela insânia do abismo nuclear. (Laerte Braga em “A Nova Guerra Fria. O Aquecimento Global”)

***


Um dos grandes problemas de pessoas que participaram de determinados momentos históricos é acreditar que todo mundo conhece a história em seus pormenores e a entende tanto quanto ele assimila e compreende os fatos.



Quantas vezes a gente está batendo um papo com alguém sobre o passado vivido por ambos e acaba saltando determinados detalhes porque acredita que o interlocutor está careca de saber tudo sobre aquilo. De repente esse alguém com quem estamos conversando contra-argumenta de tal maneira que nos faz desconfiar que ele simplesmente desconhece o que parece óbvio.

Sabe aquela frase atribuída a Nelson Rodrigues: “Só os gênios enxergam o óbvio”? Pois é, o problema é que os gênios, apesar de enxergarem o óbvio, muitas vezes não enxergam o ululante, aquilo que, por ser óbvio, ele próprio acredita que todos estão enxergando. Lerdo engano do gênio. (Assaz Atroz evoca Drummond e Nelson Rodrigues para explicar o óbvio

***

Num artigo em que defende o voto facultativo, um rapaz chamado Pedro Cardoso da Costa, de Interlagos/SP, expõe o que pode parecer óbvio em relação ao dito “show democrático” de todo o universo. Dificilmente alguém poderia contestar aquilo que ele argumenta sem necessidade de esconder ou de explicitar as fontes, pois o voto facultativo é tido como suposto consenso nacional nos âmbitos político, social e ideológico, uma coisa mais menos do tipo "burrice unânime". Se não fossem as peculiaridades de cada região do Planeta, poderíamos até concordar; mas vejamos a confusão em que ele se meteu ao encerrar o texto:

Em si, o voto obrigatório já é uma contradição numa democracia. Um eleitor que deixar apenas de votar no Brasil democrático, por não poder tirar passaporte, fica impossibilitado de entrar na autoritária Venezuela, onde o voto é facultativo e o comparecimento na última eleição foi maior do que nas obrigatórias eleições municipais brasileiras." [Veja, rapaz, para rimar como um cordelista, responda se for capaz: pra você, a Venezuela é tão ou mais autoritária que os EUA, onde o voto também é facultativo?]

Ele diz ainda:

O Brasil caminha para ser o último a extinguir o voto obrigatório.

E nós, aqui da PressAA, entendemos que, antes de falar sobre voto facultativo, devemos atentar para as peculiaridades do Patropi e dos nossos vizinhos. Portanto, perguntamos: Qual será o próximo-primeiro país sul-americano a extinguir o voto pra presidente, para uma fatia de senadores, para governadores e prefeitos de cidades consideradas áreas de in-segurança nacional, como os idealizadores da nova operação “Com Dor dos Urubus” devem estar tramando em Washington?

Pedro da Costa está colaborando com o site Alagoas na Net.

Aí vai um texto seu publicado neste final de semana para os cabras da Peste Politiqueira do Sertão Alagoano, coisa que ainda assola toda esta Nação:







Desde o início, esse julgamento serviu para aclarar algumas questões, geralmente de cunho político e sobre o funcionamento da Suprema Corte de Justiça.

Apontou perfis claros de ministros que votaram para quem os indicou e revelou outros que justificaram os lobbies para suas escolhas.

Seu julgamento tem duração incomensurável, como diria o presidente Lula. Um ano após, já está no terceiro presidente e dois novos ministros vieram para definir o resultado de “pizza” planejado pelo governo. Teori Zavascki fala pouco e não deu demonstrações de sua inclinação. Luís Roberto Barroso tem ido além de advogado criminalista eagido como um verdadeiro militante petista. Não se apercebeu que passou a ocupar um dos cargos mais relevantes no Judiciário brasileiro. Como se preparasse os brasileiros psicologicamente, tem sustentado e antecipado sua posição, numa infeliz atitude.

Agora, ele defende que não se trata do maior escândalo da história do Brasil. Apesar de sua colaboração como historiador, o tamanho e a colocação no ranking dos escândalos têm relevância para outros profissionais, não para um julgador.

Da mesma forma, o fato de a corrupção ser tradicional, sistêmica e não ser exclusividade de um partido em nenhuma hipótese se vincula à judicatura. Ao contrário, seria importante aproveitar o momento para confirmar a ruptura com essa prática. É presumido que se perpetuou é porque todos os Poderes funcionaram mal, especialmente o Judiciário, ao qual sempre coube a prerrogativa de coibir. São posicionamentos relevantes como afirmação de valores, mas não para o caso concreto. Neste caso, importa tratar se caberiam ou não os decantados embargos infringentes.

Ouve-se reiteradamente que os embargos infringentes se aplicariam às sentenças com resultados apertados, com diferença de um voto. Esse instituto está previsto no Código de Processo Penal – CPP, artigo 409, parágrafo único, com a exigência apenas que a decisão não seja unânime. Portanto, não importa quantos votos de diferença, sendo bastante um voto contrário. E não consta que esse artigo tenha sido revogado.

Para se discutir a aplicação do Regimento Interno da Corte, primeiro deve ser declarada a revogação do CPP. Embargos são recursos processuais penais e somente podem ser criados, modificados ou extintos por lei federal, figura normativa hierarquicamente superior aos regimentos internos. A exigência de lei federal está prevista na Constituição (CF, art. 22, I).

Ainda que a liberdade de expressão permita posição política de qualquer pessoa, teses prévias de um julgador sobre caso concreto de sua alçada confrontam-se com o princípio da impessoalidade ou até da imparcialidade.

Os meios de comunicação não podem criar mais confusão junto aos seus telespectadores. Regimentos internos, resoluções e portarias são regras infralegais e não têm força para definir mecanismos processuais acima ou diferente do que estejam previstos em leis.

Grande parte da mídia está abertamente preocupada em livrar os mensaleiros das penas aplicadas, especialmente de prisão. Em estapafúrdia contradição, é a mesma parcela a afirmar que a justiça só alcança os pobres, que os crimes praticados por políticos são inalcançáveis e que a corrupção rola solta por não ser reprimida. Mesmo que o mensalão não seja o maior caso de corrupção, depois de um ano e meio de julgamento para livrar a cara dessa cambada, tornar-se-á a maior “pizza” da história, tendo o ministro Luís Roberto Barroso como a azeitona.

Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP - Bacharel em direito – colaboração enviada ao Alagoas na Net por e-mail

[Os links disponibilizados no texto são brindes da PressAA]
____________________________________________________________________


Quando lemos ou ouvimos alguém não podemos medir o grau de convicção do autor ou do discursista, menos ainda perceber claramente o alvo de suas intenções. Não somos dotados de “convictômetro” ou “intenciômetro”. E se tivéssemos um “detector de convicções” instalado em nossas consciências, ele dispararia o alarme a cada momento em que disséssemos a nós mesmos que acreditamos piamente nisso ou naquilo. Quanto ao “verificador de intenções”, precisamos entender que bem-intencionado”é o sujeito que deve ser perdoado quando erra, apesar de ter agido exatamente como o “mal-intencionado” agiria. Mas podemos e devemos sempre ligar o “desconfiômetro”. Ter um pé ligeiramente recuado não é uma atitude paranoica, mas tão-somente uma indispensável precaução diante das realidades em confronto com as verdades acessíveis.

Mais Notícias

_________________________________________________________________________________


(informações de rodapé e outras que talvez você não tenha visto)
De: Paulo Dantas 

COMBATE ÀS FRAUDES MILIONÁRIAS NO METRÔ E CPTM E PAGAMENTO DE PROPINAS PARA AGENTES PÚBLICOS E POLÍTICOS

Se realmente quer acabar com a corrupção em seu governo e recuperar dinheiro desviado do Metrô e CPTM, Alckmin deveria, em vez de ingressar com ação contra a Siemens, incentivar demais  multinacionais do cartel metroferroviário a aderir ao acordo de leniência assinado pela empresa alemã

(Para ler mais, clique no título)
_________________________________________________________________________________


_________________________________________________________________________________





(...)

Vocês se referem a bandidos, marginais, delinquentes e outros adjetivos mais e se esquecem que os bandidos são pessoas humanas e filhos do mesmo Deus de todos nós!
Vocês esquecem que Deus criou o homem à sua imagem e semelhança!
Vocês esquecem que todos os homens e mulheres são iguais perante a Lei!
Vocês esquecem que nossa República é fundada na cidadania e na dignidade da pessoa humana!
Vocês se transformaram em máquinas que apenas repetem o que a televisão manda!
Vocês pensam que esses tais bandidos nascem das bolhas que pipocam nos esgotos fedidos que cortam as ruas da periferia das cidades?
Vocês pensam que bandidos nascem da fumaça ou da quentura do lixo jogado a céu aberto nas margens das rodovias?
Vocês pensam que bandidos nascem nas varas das tabocas que abundam o lamaçal que se transformou o que um dia foi chamado de riacho?
Vocês pensam que bandidos nascem do fedor que exala das lagoas transformadas em fossa para receber o esgotamento sanitário das cidades?
Vocês pensam que bandidos nascem das cinzas ou do carvão que estão fazendo com as poucas árvores que sobraram da caatinga?
Vocês pensam que bandidos caem do céu com as tempestades de granizo?
Vocês pensam que bandidos chegaram do espaço em uma nave espacial?
Vocês pensam que bandidos saem da terra vindo das profundezas do inferno?
Vocês pensam que bandidos são filhos do demônio?
Não! Não e Não! Chega de mentira! Chega de repetição!
Ora, vocês querem saber de onde nascem os bandidos? Querem?

Então, cliquem no título!

Leiam também:

__________________________________________________________________________________________

No blog da redecastorphoto...


[*] Pepe EscobarAsia Times Online- The Roving Eye
Traduzido pelo pessoal da Vila Vudu



Procura de pessoa entre centenas, talvez milhares de assassinadas pelo
exército egípcio no "banho de sangue que não é banho de sangue"
(...)

Do ponto de vista de Washington, tanto faz a Fraternidade Muçulmana, ou “estado profundo”, e não faz diferença, sequer, uma guerra civil no Egito – árabes matando árabes, dividir para governar ad infinitum: tudo estará sempre tudo bem, desde que nada ameace Israel.

Com Israel possivelmente já cerebrando outra invasão ao Líbano; com o “processo de paz” de Kerry como desculpa para construir mais colônias na Palestina; com Bandar Bush praticando suas artes obscuras; com qualquer possível solução para o dossiê nuclear iraniano já devidamente evitada; com o Egito em guerra civil; com a Síria e também o Iraque sangrando sem parar, só resta, garantida, a proliferação de todos os tipos de eixo e de todos os tipos de mal. 



[*] Pepe Escobar (1954) é jornalista brasileiro, vive em São Paulo, Hong Kong e Paris, mas publica exclusivamente em inglês. Mantém coluna (“The Roving Eye”) no Asia Times Online; é também analista e correspondente das redes Russia TodayThe Real News Network T  Al-Jazeera. Seus artigos podem ser lidos, traduzidos para o português pelo Coletivo de Tradutores da Vila Vudu, no  blog redecastorphoto.

_________________________________________________________________________________

Se você perdeu a "festa da democracia" em Pernambuco, não fiquei aí coçando a cabeça, se culpando por não ter feito o dever de casa, pois, a qualquer momento, você pode filiar-se à CC-PE; para isso é preciso apenas que sua mulher contribua...

Enviado pelo jornalista Ruy Sarinho, a título de colaboração para com esta nossa Agência Assaz Atroz:

CONFRARIA DOS CHIFRUDOS ELEGE O CORNO DO ANO!  

 

LOC: NESTE SÁBADO, A PARTIR DAS ONZE HORAS DA MANHÃ, ACONTECE A FAMOSA ESCOLHA DO CORNO DO ANO DO MERCADO PÚBLICO DA MADALENA, QUANDO A URNA SERÁ ABERTA PARA VOTAÇÃO COM FISCALIZAÇÃO DOS DELEGADOS DE CADA CANDIDATO.  //  A ELEIÇÃO ACONTECE NA CONFRARIA DOS CHIFRUDOS, BOXE 11, AO LADO DO CANTO SERTANEJO.  //  SEGUNDO INFORMAÇÕES DE FERNANDO CORREIA, DONO DO BAR CONFRARIA DOS CHIFRUDOS, ESTE ANO TEM ATÉ UM CANDIDATO INTERNACIONAL QUE LEVOU GAIA AQUI NO BRASIL E ESTÁ LEVANDO AGORA NOS ESTADOS UNIDOS, ONDE RESIDE ATUALMENTE.  //  

LOC: QUATRO CHAPAS ESTÃO INSCRITAS E EM PLENA CAMPANHA JÁ EM CLIMA DE BOCA DE URNA.  //  SÃO ELAS: A 01, CORNO SEM CACHAÇA, COM MARCELO HERCULANO PARA PRESIDENTE E MARCELÃO NA VICE; A 02, SABE TUDO, COM PAULO MALAQUIAS E FÁBIO; JÁ A CHAPA 03, PASSAPORTE FRIO, TEM NA CABEÇA ALVINHO E NA VICE LUCENA; POR FIM, A CHAPA 04, FILHO E PAI, É FORMADA POR PAULINHO E ALDO, RESPECTIVAMENTE PRESIDENTE E VICE.  //  O MANDATO DA NOVA DIRETORIA DOS CHIFRUDOS É DE UM ANO.  //

Ruy Sarinho/Sintonia
(81) 32263113/87160065          

Mais informações: Fernando Correia: (81) 91084113
Neurides Ferraz (Canto Sertanejo): (81) 34468596/92164045

RUA DR. JOÃO COIMBRA, 67, MADALENA – RECIFE/PE –  CEP: 50610-310
FONE/FAX (81) 3226.3113  C.G.C 02.856.319/0001-49  INSCRIÇÃO MUNICIPAL 288.568-9

_________________________________________________________________________________

O Sofá




_________________________________________________

 Ilustração: AIPC - Atrocious International Piracy of Cartoons

 ________________________________________________


  PressAA


 .

Nenhum comentário: